ESTRATIFICAÇÃO DE FLORESTAS DE EUCALIPTO COM BASE NA FORMA DO FUSTE DAS ÁRVORES

Nome: Jeangelis Silva Santos
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 28/11/2014
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Adriano Ribeiro de Mendonça Orientador
Gilson Fernandes da Silva Co-orientador
José Franklim Chichorro Co-orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Adriano Ribeiro de Mendonça Orientador
Daniel Henrique Breda Binoti Examinador Externo
José Franklim Chichorro Coorientador
Nilton Cesar Fiedler Suplente Externo
Sidney Sara Zanetti Examinador Interno

Resumo: O inventário florestal é o principal método para a obtenção de informações quantitativas e qualitativas sobre as florestas. Entretanto, ao se trabalhar com grandes áreas, há o inconveniente das variáveis analisadas apresentarem grande heterogeneidade, sendo necessário adotar uma maior intensidade amostral. Nestes casos, uma alternativa para a realização dos inventários florestais é a estratificação da área em subpopulações mais homogêneas quanto a variável de interesse, garantindo estimativas mais precisas com uma menor intensidade amostral. Com isso, este estudo teve como objetivo realizar a estratificação de florestas de eucalipto considerando variáveis que descrevem a forma do fuste. Para tanto, foi utilizada uma base de dados contendo informações de 47.770ha de povoamentos de clones do gênero Eucalyptus.Osplantios são compostos porquatorze clones plantados sobtrês diferentes regimes de manejo (alto fuste, dividido em áreas de implantação e reforma, e talhadia) e quatro espaçamentos de plantios (6, 9, 10 e 16m2 de área útil por planta), com idades variando de quatroa seis anos. Inicialmente, foi realizada a estratificação da área, gerando um total de quarenta estratos, nos quais foram realizados a cubagem rigorosa e os inventários florestais. Em seguida, foram aplicados os métodos de agrupamento por similaridade de perfil, análise de componentes principais, classes de quociente de forma, classes de fator de forma artificial e redes neurais artificiais, gerando novos estratos de amostragem.A título de comparação, também foram consideradas amostragem sem estratificação, a estratificação completa (40 estratos iniciais), estratificação considerando a idade e o espaçamento, e estratificação apenas pela idade.Em seguida, foi realizado o cálculo dos estimadores populacionais para o inventário florestal, considerando cada método de estratificação apresentado, bem como o custo de realização do inventário florestal e cubagem rigorosa. Dentre os métodos propostos para estratificação dos povoamentos, os que apresentaram melhores resultados, quanto a precisão, foi o agrupamento porredes neurais artificiais e o agrupamento porclasses de quociente de forma (K0,5H). Em relação aos custos, o método de agrupamento por redes neurais artificiais também obteve melhores resultados, seguido pelo agrupamento pelo método da similaridade de perfis. Analisando conjuntamente precisão e custo, dentre todos os métodos avaliados, a utilização de redes neurais artificiais se mostrou a alternativa mais eficiente para a estratificação de florestas.

Palavras-chave:Amostragem estratificada, inventário florestal, redes neurais artificiais.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910