MANEJO DE EUCALIPTO SUBMETIDO A DIFERENTES ESPAÇAMENTOS E PESOS DE
DESBASTES VISANDO MULTIPRODUTOS

Nome: Qüinny Soares Rocha
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 18/02/2021
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Adriano Ribeiro de Mendonça Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Adriano Ribeiro de Mendonça Orientador
Carlos Moreira Miquelino Eleto Torres Examinador Externo
Elzimar de Oliveira Gonçalves Examinador Interno
Gilson Fernandes da Silva Coorientador

Resumo: Diferentes espaçamentos e a aplicação de desbastes são utilizados para a
produção de madeira de maiores dimensões e melhor qualidade, possibilitando sua destinação para multiprodutos sendo necessária a análise da viabilidade econômica para verificar o retorno econômico. Diante disso, o objetivo dessa pesquisa foi avaliar a produção (diâmetro, altura, volume e biomassa do fuste) e a viabilidade econômica de plantios do híbrido Eucalyptus urophylla × Eucalyptus grandis em diferentes espaçamentos e pesos de desbaste com destinação da madeira para multiprodutos no estado do Espírito Santo. Para isso, foi instalado um experimento sob o delineamento em blocos ao acaso, com seis tratamentos (espaçamento 3x3 m; 3x2 m; 2x2 m; e 2x2 m com 20; 40 e 60% de desbaste). Para avaliar a produção, a partir dos dados de inventário florestal, foi realizada a análise de variância e o teste de Scott
Knott ao nível 5% de probabilidade das variáveis diâmetro a 1,30 m do solo (DAP) e a altura total (H), volume total e biomassa do fuste individual e por hectare, aos 61 meses de idade. Para a projeção do DAP e H, foram testados três modelos de ajuste, sendo a produção projetada para 72, 84, 96 e 108 meses de idade. A produção do desbaste foi destinada para duas categorias de mourões e lenha e a produção do corte final foi destinada para serraria, mourões e lenha. Foram coletados todos os custos inerentes aos plantios de eucalipto bem como as receitas obtidas com a venda dos multiprodutos. Foram calculados o Valor Presente Líquido, Valor Anual Uniforme Equivalente, Taxa Interna de Retorno e Relação Benefício Custo, com a taxa de desconto de 6% ao ano para a colheita aos 84 meses de idade. Foi realizada a análise
de sensibilidade variando os custos de produção, o valor de venda dos multiprodutos, a quantidade produzida, a idade de colheita e as taxas de desconto. Também foram avaliados os plantios com espaçamento 3x3 m e 3x2 m destinados para celulose aos 72 e 84 meses de idade. Considerando DAP, H, volume total e biomassa individual, o espaçamento 3x3 m produziu as maiores médias. Para as variáveis volume total e biomassa por hectare, as maiores médias foram obtidas pelos tratamentos com espaçamento 2x2 m com de desbaste 6 e 40%. Para os projetos analisados aos 84 meses de idade, nenhum tratamento foi viável economicamente para a taxa de desconto de 6% a.a. Ao reduzir os custos de produção em 20%, os tratamentos 2x2 m com 40 e 60% de desbaste apresentaram viabilidade econômica. Com o aumento
do valor de venda dos multiprodutos em 20%, o espaçamento 2x2 m com 60% de desbaste também apresentou viabilidade econômica. Já para a taxa de desconto de 1,9%, apenas o espaçamento 2x2 m foi inviável economicamente. Os plantios destinados apenas para a celulose foram inviáveis economicamente para todos os horizontes de planejamento considerados. O menor espaçamento aliado a prática do desbaste aumentou a produção final em volume e biomassa e ao reduzir os custos de produção ou a taxa de desconto, ou aumentar valor de venda, os multiprodutos são uma alternativa viável para os produtores rurais.

Palavras-chave: Diâmetro; altura; volume; biomassa; avaliação econômica de
projetos.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910