OTIMIZAÇÃO DO PLANEJAMENTO INTEGRADO DE INFRAESTRUTURA NA EXPLORAÇÃO FLORESTAL NA REGIÃO AMAZÔNICA

Nome: Marcelo Otone Aguiar
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 05/12/2019
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Gilson Fernandes da Silva Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Adriano Ribeiro de Mendonça Examinador Interno
Cesar Junio de Oliveira Santana Examinador Externo
Geraldo Regis Mauri Coorientador
Gilson Fernandes da Silva Orientador
Gustavo Eduardo Marcatti Examinador Externo

Resumo: O Manejo Florestal Sustentável (MFS) tem um papel fundamental na manutenção da floresta remanescente. Iniciativas tem se apoiado em novas tecnologias para um planejamento da exploração com o objetivo de minimizar os impactos ambientais e reduzir os custos de operação. Nesse contexto, esta pesquisa investiga métodos de otimização com o objetivo de propor uma metodologia para auxiliar o gestor no planejamento da alocação das infraestruturas necessárias à exploração em florestas nativas na Amazônia, minimizando danos ambientais e maximizando o uso dos recursos. Este estudo foi dividido em três capítulos principais. O primeiro envolve a avaliação de métodos de otimização para a alocação de pátios de estocagem. O segundo capítulo teve como objetivo avaliar métodos para o planejamento de estradas florestais. E, por fim, o terceiro capítulo investiga duas metodologias para a alocação integrada de estradas florestais, pátios de estocagem e trilhas de arraste. A área de estudo foi a Floresta Nacional (FLONA) Saracá-Taquera, localizada nos municípios de Faro, Oriximiná e Terra Santa, Unidade de Manejo Florestal (UMF-1A), Unidade de Produção Anual de 2018 (UPA/2018). Os resultados do primeiro capítulo indicam que, dentre os métodos avaliados, a meta-heurística Simulated Annealing foi a mais eficiente para a alocação dos pátios de estocagem. No segundo capítulo, os experimentos reportados evidenciam que o algoritmo Dijkstra foi o mais eficaz e eficiente para o traçado de estradas, tendo em vista que o mesmo foi capaz de obter soluções ótimas em tempo inferior aos demais métodos avaliados para as três instâncias consideradas. Os resultados do terceiro capítulo indicam que avaliar diferentes quantitativos na alocação de pátios de estocagem pode favorecer a tomada de decisão, tendo em vista que os pátios influem diretamente na alocação ótima de estradas florestais e trilhas de arraste. Ademais, pode-se concluir que o planejamento integrado permite escolher a melhor solução global do plano, que se baseia na alocação do conjunto de infraestruturas.

Palavras chave: Heurísticas, Manejo Florestal de Precisão, Otimização florestal.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910