Fertilidade do solo, crescimento, carbono e biomassa em plantios de espécies florestais não tradicionais

Resumo: O presente projeto será realizado na mesma área do projeto financiado pela FAPES (Processo Nº 65766261/2014) “Caracterização genética, crescimento e sequestro de carbono em plantios de espécies florestais não tradicionais no sul do ES” e do projeto “Floresta Piloto”. O projeto Floresta Piloto foi implantado em 2011 em uma área pertencente ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia – ES, Campus de Alegre, ES (rodovia ES 482, Cachoeiro-Alegre, km 47 no distrito de Rive, Alegre, ES). Várias unidades demonstrativas de florestas compuseram a estrutura do projeto Floresta Piloto, e em uma dessas unidades, com fins de produção, foi realizado o plantio puro de Anadenanthera peregrina (L.) Speg e Schizolobium parahyba var. amazonicum (Huber ex Ducke) Barneby, em cinco diferentes espaçamentos. Nesse contexto, objetivo geral da presente proposta é analisar o melhor entendimento sob o ponto de vista do funcionamento em termos de crescimento e a ecologia de plantios com espécies leguminosas nativas do Brasil, mas não tradicionais no Estado do Espírito Santo, bem com o potencial econômico e de proteção/recuperação ambiental.Em relação a hipótese e considerando o plantio das espécies Anadenanthera peregrina (angico-curtidor) e Schizolobium parahyba var. amazonicum (paricá) estabelecidas com diferentes espaçamentos é possível afirmar que: a fertilidade do solo, o estoque de carbono orgânico do solo, o crescimento e a biomassa arbórea ao longo dos anos, sofre influência do espaçamento de plantio. As mudas de paricá e angico-curtidor foram produzidas e doadas pela Reserva Na-tural Vale, Linhares, ES (Instituto Ambiental Vale do Rio Doce) plantadas em cova com dimensões de 30 x 30 x 30 cm. Neste projeto de pesquisa, serão testados cin-co tratamentos (espaçamento 3,0 m x 2,0 m, 3,0 m x 3,0 m, 4,0 m x 3,0 m, 4,0 m x 4,0 m e 5,0 m x 5,0 m) e três blocos em cada espécie, sendo que dentro de cada bloco um mesmo tratamento ainda tem três repetições, distribuídas inteiramente ao acaso. Cada repetição do experimento representava uma unidade experimental, constituída por um retângulo nas dimensões de 30 m x 50 m (1500 m2 ou 0,15 ha). Assim, cada bloco continha no seu interior 15 unidades amostrais, que juntas ocu-pavam 2,25 ha de área plantada para cada espécie. Ao contabilizar os três blocos, tem-se um total de 45 unidades amostrais distribuídas em três blocos, perfazendo uma área total de 6,75 ha para cada espécie.As principais atividades (coleta dos dados) em cada espécie serão realizadas por ano. No Ano I do projeto – 2019 (povoamento com 8 anos de idade) será realizada a coleta de solo. O principal objetivo dessa avaliação será: a) estimar o estoque de carbono do solo na profundidade de 0-20 cm; e, b) avaliar as mudanças nos atributos do solo. Também no Ano I do projeto – 2019 será realizado o inventário florestal (censo). Cabe ressaltar que em 2015 (povoamento com 4 idade) foi realizado um inventário florestal. Um dos principais objetivos dessa coleta de dados será avaliar o crescimento das espécies (4 e 8 anos de idade) plantadas em diferentes espaçamentos. Posteriormente, para identificar os atributos do solo mais significativos na variação dos dados (inventário florestal), será utilizada a técnica de ordenação de Análise de Componentes Principais (ACP), por meio dos componentes principais. Cabe ressaltar que a pressuposição da normalidade da distribuição dos dados não é requisito necessário para o uso dessa técnica.
No Ano II do projeto – 2020 (povoamento com 9 anos de idade) será realizado a quantificação da biomassa da acima do solo e das raízes, bem como os nutrientes e o carbono. Essa etapa terá como objetivo principal avaliar a produção de biomassa em diferentes compartimentos da árvore (das duas espécies) em função do espaçamento de plantio. Ressalta-se que em 2015 (povoamento com 4 anos de idade) foi realizado a quantificação da biomassa nas duas espécies.
No Ano III do projeto – 2021 (povoamento com 10 anos de idade) será realizado a coleta de amostras de solos na profundidade de 0-20 cm. Tal atividade tem por objetivo comparar os resultados da análise dos atributos químicos e da densidade do solo após 10 anos do plantio das mudas de paricá e angico (tempo 2 – T2) com a idade 5,6 anos de idade (tempo 1 – T1) e com aqueles determinados na área anteriormente ao plantio dessas espécies (tempo 0 – T0).

Data de início: 2019-05-01
Prazo (meses): 36

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Colaborador Paulo André Trazzi
Coordenador Marcos Vinicius Winckler Caldeira
Pesquisador Elzimar de Oliveira Gonçalves
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910