FENOLOGIA E PROPAGAÇÃO ASSEXUADA DE MUDAS DE Dalbergia nigra e Paratecoma peroba (Record) Kuhlm SOB EFEITO DE NITROGÊNIO

Resumo: Paratecoma peroba e Dalbergia nigra são espécies ocorrentes na Floresta Atlântica, presente na lista de espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção, despertando o interesse por estudos que visam sua conservação. O objetivo deste projeto será descrever o padrão fenológico, avaliar a produtividade de minicepas e o enraizamento de miniestacas das espécies Dalbergia Nigra e Paratecoma peroba nas estações do ano sob efeito do nitrogênio. Serão desenvolvidos quatro experimentos. O experimento I será de fenologia das espécies. As observações fenológicas serão realizadas visualmente e com o auxílio de um binóculo, de setembro de 2017 a outubro de 2019, totalizando 24 observações no período. Os eventos fenológicos a serem observados serão relativos à floração, à frutificação e à mudança foliar. Os dados de progressão das fenofases serão coletados concomitantemente com os valores relativos à amplitude das fenofases, que variam de 0 a 4. O experimento II será de produtividade de minicepas. As mudas serão produzidas em vasos com capacidade de 3,8 L, estabelecendo-se assim o minijardim clonal, que será constituído de 128 matrizes (minicepas) de cada espécie. Essas matrizes serão adubadas com solução nutritiva acrescida das concentrações de nitrogênio de 0, 50, 100 e 200 mg L-1, que constituirão os tratamentos. Serão avaliadas nas minicepas: o diâmetro do colo, teor de clorofila, teor nutricional, teor de lignina e carboidratos. O experimento III será de enraizamento de miniestacas provenientes de matrizes fertilizadas com diferentes concentrações de nitrogênio e nas estações do ano. Após a poda apical das minicepas, serão retiradas as miniestacas provenientes das brotações laterais e colocadas para enraizar em tubetes de 55 cm3 preenchidos com substrato comercial. Esse experimento será realizado no inverno e no verão, afim de verificar o efeito da sazonalidade. Após o período de enraizamento serão avaliados: a porcentagem de enraizamento, sobrevivência, altura da parte aérea e diâmetro do colo, comprimento, área superficial e diâmetro das raízes, teor de clorofila, teor nutricional das miniestacas e a qualidade das mudas. O experimento IV será de produção de mudas assexuadamente. Após o enraizamento, o restante das mudas que não foram avaliadas, sendo metade das mudas por tratamento e por repetição, será transferido para canteiros a sol pleno, para que as mesmas completem seu ciclo de produção. Para cada uma das espécies, será instalado um experimento, constituído por quatro tratamentos (fertilizante de liberação controlada): 0; 2,0; 4,0 e 8,0 kg/m3 de substrato. Conforme objetivo e metodologia descrita espera-se: que seja determinado o padrão fenológico das espécies Dalbergia nigra e Paratecoma peroba, estabelecça a concentração de nitrogênio que proporcione minicepas mais produtivas, aumentando o enraizamento e a sobrevivência das miniestacas, defina-se a melhor época do ano para coleta de propágulos e enraizamento de miniestacas, assim como, a obtenção de mudas de qualidade propagadas assexuadamente.

Data de início: 2019-01-02
Prazo (meses): 36

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Aluno Doutorado Bruna Tomaz Sant Ana
Coordenador Elzimar de Oliveira Gonçalves
Pesquisador Rafael Marian Callegaro
Pesquisador Marcos Vinicius Winckler Caldeira
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910