Ciclo de produção de mudas de espécies florestais nativas em diferentes tubetes e fontes de adubação

Resumo: O uso de mudas de espécies florestais pioneiras e não pioneiras é um dos fatores de grande importância na recuperação de áreas degradadas. A produção destas mudas em quantidade e qualidade, entretanto, é um grande desafio encontrado pela maioria dos viveiros, devido as suas diferenças de crescimento. Os recipientes e as fertilizações são fatores relevantes a serem considerados no processo de produção das mudas. A escolha do tipo e tamanho do recipiente interfere no espaço de crescimento para as raízes, e em maior ou menor volume do substrato. Por consequência, interfere na quantidade de fertilizante a serem utilizados, e no custo final da muda. Da mesma forma, saber escolher a melhor fonte de nutrientes, que garanta o crescimento das mudas num menor ciclo, e com menor necessidade de mão de obra, são decisões de grande importância para o sucesso da produção das mudas e do empreendimento como um todo. Diante desse contexto, o estudo será realizado em espécies nativas arbóreas das classes sucessional não pioneiras e pioneiras, visando avaliar o ciclo de produção e a qualidade das mudas quanto a aspectos morfológico e fisiológico, em tubetes preenchidos com substrato orgânicos disponíveis no comércio e fertilizados com adubação convencional ou fertilizante de liberação controlada. Será utilizado o esquema fatorial 2x4, sendo dois volumes de tubetes (180 e 280 cm3) e quatro formas de adubação: fertilização de liberação controlada e adubação convencional (recomendado e recomendado mais 25%) com quatro repetições cada tratamento. Ao final do experimento busca-se entender, se o uso de tubetes, substratos comerciais e fertilizantes de liberação controlada em comparação aos fertilizantes convencionais, possibilitam produzir mudas num ciclo igual ou menor do que os relatados em literaturas, em que foram utilizadas sacolas plásticas. E se a adubação de liberação controlada produz efeitos semelhantes ou superiores a adubação convencional, e se o acréscimo da adição de fertilizante recomendado em literaturas e manuais, diminuem a ciclo de produção. Pretende-se ao final do projeto elaborar uma cartilha com os dados, par auxiliar os viveiristas na produção comercial de mudas de espécies nativas.

Data de início: 2020-08-01
Prazo (meses): 48

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Colaborador Rodrigo Sobreira Alexandre
Colaborador Marcos Vinicius Winckler Caldeira
Coordenador Elzimar de Oliveira Gonçalves
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910