TANINOS NA INIBIÇÃO DE FUNGOS E NA GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE Pinus taeda L.

Nome: Hernesise Mayard
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 29/07/2020
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Fabricio Gomes Gonçalves Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Elzimar de Oliveira Gonçalves Examinador Interno
Fabricio Gomes Gonçalves Orientador
Humberto Fantuzzi Neto Examinador Externo
Juarez Benigno Paes Examinador Interno

Resumo: Os taninos são complexos polifenólicos conhecidos por possuírem propriedades
antimicrobianas e antifúngicas e também evitam que as sementes germinem
precocemente, bem como a protegem do ataque de pragas, sendo assim, utilizados na defesa da planta, e exercendo efeitos negativos sobre possíveis predadores. Objetivouse analisar o potencial de taninos comerciais proveniente de Acacia mearnsii De Wild., na inibição de fungos e na germinação das sementes de Pinus taeda L.. No Capítulo I foram realizados três experimentos. No primeiro foram colocadas amostras de substrato de viveiro comercial em placas de Petri esterilizadas e, umedecidas com água destilada para efetuar a semeadura (80% da capacidade de campo). Em seguidas, folhas de eucalipto contendo pequenos orifícios foram dispostas sobre este substrato. As placas foram mantidas em câmara com Demanda bioquímica de oxigênio (BOD) a 25 ºC até o surgimento de frutificação dos esporos de possíveis fungos. Foi
realizada a repicagem dos mesmos para placa de Petri contendo aproximadamente 10 mL de meio de cultura batata dextrose ágar (BDA). Estas foram incubadas em BOD a 25 ºC com fotoperíodo de 12 horas até a obtenção de novas colônias de fungos presentes no substrato. No segundo experimento, foram utilizadas seis concentrações de tanino (0; 4; 8; 12; 16 e 20%) diluídos em água destilada. Foram utilizados quatro fungos (Pythium spp., Penicillium sp, Fusarium sp. e Rhysopus spp.) e sementes de P. taeda com três repetições de 12 sementes para cada fungo, mais o controle. Primeiramente as sementes foram desinfestadas e embebidas nas concentrações de tanino por 10 minutos. Na sequência, foram vertidos diretamente em uma placa de Petri, 10 mL de BDA previamente preparado e mantido em BOD por 15 dias. Os fungos
Rhizopus spp. e Fusarium sp. se desenvolveram mais rápido durante o experimento. O aumento das concentrações de tanino reduziu o desenvolvimento dos fungos testados. Para o terceiro experimento, com base nos resultados obtidos (experimento II), optouse em utilizar a concentração de 20% de tanino, mais um controle (0% de tanino), e estas colocadas junto com os fungos Fusarium sp., Penicillium sp., Pythium spp. e Rhizopus spp. Foram utilizadas 160 sementes por tratamento as quais foram embebidas na solução tânica e distribuídas em placas de Petri juntamente com os fungos. Com a utilização de tanino, as sementes germinam mais na presença dos fungos testados. No Capítulo II foram conduzidos quatro experimentos básicos (teste
tetrazólio, condutividade elétrica, curva de embebição e teste de germinação com avaliação de parâmetros de qualidade de plântulas). O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, composto por seis concentrações de taninos (0; 4; 8; 12; 16 e 20%), com quatro repetições de 25 sementes. Um lote de 100 sementes foi embebido em cada concentração por um período de 10 minutos e colocado em rolo de papel e mantido no BOD para germinar a uma temperatura de 25 ºC. Foi aplicado análise de regressão para os parâmetros estudados com base nas concentrações tânicas (0; 4; 8;
12; 16 e 20%). Segundo o teste tetrazólio, as sementes apresentaram uma viabilidade média de 75%. Na condutividade elétrica as maiores concentrações de tanino proporcionaram maiores liberações de íons. A curva de embebição seguiu o padrão trifásico. As características de qualidade das plântulas apresentaram resultados de tendências variadas à medida que se aumentou a concentração de tanino. Foram obtidos aumento, no comprimento da parte aérea e o diâmetro do colo. A porcentagem 5 de germinação, plântulas normais e a deterioração da semente apresentam comportamento de queda com aumento da concentração de tanino.

Palavras-chave: microrganismo; qualidade fisiológica; semente; polifenóis.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910