SELEÇÃO DE ESPÉCIES ARBÓREAS PARA SISTEMAS SILVIPASTORIS A PARTIR DE UMA ABORDAGEM ETNOECOLÓGICA NO SUL DO ESPÍRITO SANTO

Nome: Mauricio Lima Dan
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 28/02/2020
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Henrique Machado Dias Co-orientador
Sustanis Horn Kunz Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Bevaldo Martins Pacheco Examinador Externo
Camilah Antunes Zappes Examinador Externo
Gláucio de Mello Cunha Examinador Externo
Karla Maria Pedra de Abreu Examinador Externo
Sustanis Horn Kunz Orientador

Resumo: Diante do predomínio do sistema de manejo extensivo da pecuária bovina no
Brasil, acredita-se nos sistemas silvipastoris (SSPs) como uma alternativa para
maior sustentabilidade social, econômica e ambiental. Pesquisas sobre aspectos socioculturais e ecológicos são importantes para o sucesso dos SSPs no país, assim, utilizou-se uma região do Espírito Santo como estudo piloto. A presente tese buscou responder a seguinte questão: Quais espécies de árvores ocorrentes nas pastagens da Macrorregião Sul são promissoras para práticas silvipastoris? O levantamento de dados em campo ocorreu nos municípios de Alegre, Cachoeiro de Itapemirim e Jerônimo Monteiro. Foi realizado o estudo fitossociológico das árvores dispersas em pastagens em nove pequenas propriedades rurais (P1 a P9), três por município. Efetuou-se o inventário predominantemente por meio do censo. Incluiramse árvores com diâmetro do tronco ≥ 5,0 cm na altura de 1,30 m acima do solo e altura total ≥ 3,0 m. Entrevistas etnográficas foram realizadas por meio de questionário semiestruturado a fim de identificar conhecimentos empíricos e percepções ambientais de agricultores familiares sobre árvores e pastagens. Os principais indicadores fitossociológicos foram o Valor de Importância (VI), a riqueza e
o índice de diversidade de Shannon (H’). O principal indicador etnoecológico foi o Valor de Uso das espécies (VUs). Em 136,9 ha descontínuos de pastagens, foram inventariadas 143 espécies arbóreas entre 2253 indivíduos. A diversidade arbórea total foi de H’= 3,6. Foram entrevistadas 42 pessoas, 38 destas relataram 46 espécies arbóreas com VUs. As classes de usos “construção/artesanato”, “lenha”, “atração de fauna” e “alimentação” representaram 69,15% das citações. Houve correlações significativas entre VI e VUs, principalmente para espécies com uso madeireiro. Espécies arbóreas representadas, no campo, por pelo menos dez indivíduos isolados foram consideradas para análise, visando ao potencial silvipastoril. Consideraram-se isoladas as árvores cujas copas não eram tocadas nem se sobrepunham
erticalmente por outras copas. Foi criado um algoritmo matemático para selecionar e ordenar, por meio do Índice de Seleção Etnoecológica
(ISEE), dez espécies arbóreas com potencial cultural e ecológico para arborização de pastagens. Essas espécies foram avaliadas quanto às interações com a cobertura do solo, com a produção de biomassa herbácea, com atributos do solo e com o pastejo e deposição de fezes pelo gado. As mesmas espécies foram ordenadas pelo Índice de Seleção Arbórea (ISA) para sistemas silvipastoris. Foi proposto um terceiro índice denominado Índice de Seleção Regional (ISR) para sistemas silvipastoris: ISR= (ISEE + ISA)/2, calculado para cada uma das dez espécies a partir da média dos valores dos índices anteriores. Com foco em serviços múltiplos (ISR-SM), obtém-se a seguinte ordem decrescente de potencial: (1) Anadenanthera colubrina; (2) Handroanthus arianeae; (3) Dalbergia nigra; (4) Gallesia integrifolia; (5) Albizia polycephala; (6) Zeyheria tuberculosa; (7) Ramisia brasiliensis; (8) Balfourodendron riedelianum; (9) Cupania oblongifolia e (10) Cybistax antisyphilitica. Com foco em produtos madeireiros (ISR-PM), chega-se a
seguinte ordem decrescente de potencial: (1) Handroanthus arianeae; (2)
Anadenanthera colubrina; (3) Dalbergia nigra; (4) Gallesia integrifolia; (5) Albizia polycephala; (6) Balfourodendron riedelianum; (7) Zeyheria tuberculosa; (8) Cupania oblongifolia; (9) Ramisia brasiliensis e (10) Cybistax antisyphilitica.

Palavras-chave: árvores dispersas; etnoecologia; etnobotânica, pastagem arborizada; interação ecológica.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910