EXTRAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE TANINOS DE CASCAS DE EUCALIPTO CULTIVADO EM AMBIENTES CONTRASTANTES

Nome: Izabella Luzia Silva Chaves
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 28/02/2018
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Fabricio Gomes Gonçalves Orientador
Juarez Benigno Paes Co-orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Fabricio Gomes Gonçalves Orientador
Humberto Fantuzzi Neto Examinador Externo
José Tarcísio da Silva Oliveira Examinador Interno

Resumo: Em função da demanda de madeira, o Brasil possui uma grande produção de eucalipto para utilização nas indústrias e isto gera quantidades de cascas que normalmente não são aproveitadas, independentemente do local de cultivo. Assim, este trabalho objetivou identificar a influência do ambiente na composição química da casca de clones de eucalipto, quanto à produção de compostos fenólicos, e avaliar a potencialidade de utilização destes compostos na fabricação de adesivos à base de taninos. Para isso, determinaram-se o pH, o teor de extrativos totais, de lignina e de cinzas das cascas de árvores provenientes de dois ambientes com precipitação média diferentes (A - Nova Almeida – ES; e B - Montezuma – MG). Os taninos (extraídos em água sob refluxo e adição de 5% de sulfito de sódio) foram avaliados quanto ao teor de extrativos totais, o número de Stiasny, a reatividade ultravioleta, o teor de taninos e não taninos. Após a produção do adesivo em composição de 1:1 (extrato tânico:água destilada) avaliaram-se as propriedades tecnológicas do mesmo (viscosidade, teor de sólidos, pH, tempo de gel, densidade e solubilidade). Na caracterização química das cascas, o ambiente A apresentou as maiores médias para as propriedades avaliadas. De modo geral, o clone 5 se destacou em todas as propriedades e seguiu para extração em autoclave, com uma relação licor:casca de 15:1 e adição de 5% de sulfito de sódio. Para o adesivo obtido, o ambiente B apresentou os melhores resultados para viscosidade, densidade e pH e o A para o tempo de formação de gel. O ambiente de crescimento das árvores influenciou o rendimento de taninos, e o de maior precipitação apresentou os melhores resultados. O adesivo produzido a partir das cascas provenientes do ambiente B apresentou características desejáveis, quanto à qualidade dos adesivos apesar de não ser o ambiente com o maior rendimento em taninos.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910