Silvicultura

Área de concentração: Ciências Florestais
Descrição: .
Silvicultura é o nome da ciência que se dedica o estudo dos métodos naturais e artificiais de aprimorar os povoamentos florestais, de modo garantir a preservação de florestas e satisfazer as necessidades do mercado e ao mesmo tempo, é aplicação desse estudo para a manutenção, o aproveitamento e o uso racional das florestas. Trata-se de uma ação de cultivo de árvores e plantas em determinada área, com o objetivo de promover e recuperar o meio ambiente local.

A linha de Pesquisa Silvicultura faz parte das quatro linhas que compõem o PPGCFL, englobando quatro áreas de atuação: Propagação e Nutrição de Plantas, Ciclagem de Nutrientes, Solos Florestais, Nutrição Florestal e Biomassa e Carbono, Meteorologia e Ecofisiologia Florestal e Sementes e Cultura de Tecidos de Espécies Florestais e possui quatro professores doutores permanentes do PPCCFL/UFES.

PROPAGAÇÃO E NUTRIÇÃO DE PLANTAS: objetiva estudos de propagação de plantas com espécies florestais nativas ocorrentes na Floresta Atlântica, tendo como principais tópicos abordados: uso de biossólido (lodo de esgoto) para produção de mudas; fertilização de mudas com fontes diversificada de nutrientes; estaquia e miniestaquia. Os produtos gerados com essas pesquisas, visam melhorar a tecnologia de produção de mudas com qualidade, para que as técnicas possam ser utilizadas em escala nos viveiros

CICLAGEM DE NUTRIENTES, SOLOS FLORESTAIS, NUTRIÇÃO FLORESTAL E BIOMASSA E CARBONO: estimar o estoque de carbono orgânico e de nitrogênio do solo, quantificar a serapilheira depositada e acumulada sobre o piso florestal e os nutrientes da serapilheira, estimar a taxa de decomposição da serapilheira e a mineralização dos nutrientes e correlacionar a dinâmica da serapilheira com os elementos climáticos; estudar o comportamento da atividade biológica, principalmente relacionada a interface solo-serapilheira, avaliar a produção de biomassa e o estoque de carbono em diferentes compartimentos da árvore, na necromassa em solos em florestais tropicais e em povoamentos com leguminosas arbóreas.

METEOROLOGIA E ECOFISIOLOGIA FLORESTAL: desenvolver estudos no sistema solo-planta-atmosfera. Em condições meteorológicas simuladas em ambientes controlados, como casas de vegetação e câmaras de crescimento, são realizadas pesquisas que abordam a ecofisiologia de plantas nas mais diversas condições de temperatura e umidade do ar, radiação solar e disponibilidade de água no solo.

SEMENTES E CULTURA DE TECIDOS DE ESPÉCIES FLORESTAIS: estudar os mecanismos de dormência, organogênese e a embriogênese somática, tendo como interesse principal produzir sementes sintéticas in vitro oriundas principalmente de fontes de explantes de plantas matrizes, na possibilidade de alternativa de produção de mudas das espécies da Floresta Atlântica, em qualquer época do ano, visando atender os objetivos da sociedade para fins de produção e para a conservação da biodiversidade da Floresta Atlântica por meio de estudo de espécies com baixa frequência de ocorrência.

Com objetivo de oferecer mais conhecimentos técnico-científicos em relação aos temas das pesquisas da linha, são ofertadas para os discentes de mestrado e doutorados as seguintes disciplinas específicas: Crescimento e Condução de Povoamentos Florestais, Propagação de Plantas Florestais, Ciclagem de Nutrientes em Ecossistemas Florestais, Fertilidade do Solo e Nutrição de Espécies Florestais, Meteorologia Florestal, Microclimatologia Florestal, Análise de Sementes Florestais e Sementes Florestais.

Os docentes da linha de pesquisa são responsáveis pela coordenação do: Viveiro Florestal Universitário, Nupemase (Scientific and Technological Research Center on Environment, Forestry and Ecology), e os Laboratórios de Meteorologia e Ecofisiologia Florestal e de Sementes Florestais.
.
Projetos:

Abreviação Título Data de início Prazo (meses)ordem decrescente
SAPUCAIASe DIVERGÊNCIA GENÉTICA BASEADA EM CARACTERÍSTICAS JUVENIS E STATUS NUTRICIONAL DE CASTANHAS DE SAPUCAIA (LECYTHIDACEAE) 16/09/2016 16
Propassexnativas Propagação assexuada de espécies florestais nativas por estaquia ou miniestaquia 01/08/2016 24
TÉRMICO Avaliação ecofisiológica e microclimática de mudas de eucalipto submetidas aos estresses térmico e hídrico 01/05/2016 36
Pronem 2019 Identificando espécies vegetais na estruturação funcional de comunidades florestais 08/01/2019 36
MATA ATLÂNTICA Propagação assexuada de espécies arbóreas nativas da Floresta Atlântica 01/01/2017 36
Morfo in vitro Morfogênese in vitro de explantes juvenis e adultos de braúna (Melanoxylon brauna) e jacarandá caviúna (Dalbergia nigra), espécies da Floresta Atlântica 02/01/2017 36
N Dalberia e Peroba FENOLOGIA E PROPAGAÇÃO ASSEXUADA DE MUDAS DE Dalbergia nigra e Paratecoma peroba (Record) Kuhlm SOB EFEITO DE NITROGÊNIO 02/01/2019 36
Peroba 01 APTIDÃO DE Paratecoma peroba À PROPAGAÇÃO VEGETATIVA POR MEIO DA TÉCNICA DE MINIESTAQUIA 01/01/2018 36
Rede Bio Árvores (bio)nativas da Floresta Atlântica 02/01/2017 36
FlorestaPiloto Fertilidade do solo, crescimento, carbono e biomassa em plantios de espécies florestais não tradicionais 01/05/2019 36
SAPUCAIORIGEM Nova castanha do Brasil: diversidade baseada em características juvenis, nutricionais, selênio e multiplicação ex vitro e in vitro de genótipos de sapucaia (Lecythidaceae). 01/01/2017 36
Silvipastoril Alterações microclimáticas e respostas fisiológicas dos estratos vegetais em diferentes modelos de sistemas silvipastoris 02/01/2017 48
EMBRIOCONSERVATION EMBRIOGÊNESE SOMÁTICA, PLOIDIA E CARIÓTIPO NA CONSERVAÇÃO EX SITU DE Lecythis pisonis CAMBESS. E L. lanceolata POIR. 11/12/2019 48
EMBRIOBRAUNA EMBRIOGÊNESE SOMÁTICA EM EXPLANTES FOLIARES ADULTOS DE Melanoxylon brauna Schott 01/03/2019 48
GERMJUÇARA FENÓIS NATURAIS NA EMBRIOGÊNESE SOMÁTICA DE Euterpe edulis MART. E CONSERVAÇÃO DE BANCO DE GERMOPLASMA DA FLORESTA ATLÂNTICA 01/01/2018 48
NATIVAS Impacto das mudanças climáticas em espécies florestais 01/11/2016 48
Ciclo de Produção Ciclo de produção de mudas de espécies florestais nativas em diferentes tubetes e fontes de adubação 01/08/2020 48
MACROCLIMA MACROCLIMAS BRASILEIROS E IBÉRICOS: UMA ABORDAGEM AGROMETEOROLÓGICA 01/03/2017 48
SAPUCAIAFUNCIONAL Árvores frutíferas funcionais da Floresta Atlântica: Diversidade molecular, morfofisiológica e morfogênese in vitro na produção de sementes sintéticas de superclones de sapucaia e juçara. 01/01/2017 60
SAPUCAIACAROL Lecythis pisonis Cambess. ÁRVORE FRUTÍFERA FUNCIONAL DA FLORESTA ATLÂNTICA: COMPOSIÇÃO HORMONAL, NUTRICIONAL, ANTIOXIDANTE E FISIOLÓGICA DAS SEMENTES 19/11/2018 60
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910