LÓGICA FUZZY NA DETERMINAÇÃO DE FRAGMENTOS FLORESTAIS PARA COLETA DE SEMENTES

Nome: Telma Machado de Oliveira Peluzio
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 17/02/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Alexandre Rosa dos Santos Orientador
Nilton Cesar Fiedler Co-orientador
Sustanis Horn Kunz Co-orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Alexandre Rosa dos Santos Orientador
João Batista Pavesi Simão Examinador Externo
Karla Maria Pedra de Abreu Examinador Externo
Nilton Cesar Fiedler Coorientador
Sustanis Horn Kunz Coorientador

Resumo: A floresta tropical brasileira encontra-se fragmentada em decorrência da grande exploração no processo de colonização do país. Para manutenção e proteção dos diferentes ecossistemas foram adotados uma série de instrumentos legais, que quando associados ao ferramental tecnológico e matemático, em especial a lógica Fuzzy, possibilita a adoção de critérios mais próximos do pensamento humano. No presente trabalho, objetivou-se selecionar fragmentos florestais potenciais com maior grau de conservação para a coleta de sementes que atendam as exigências legais, por meio da utilização e associação da ecologia da paisagem à lógica Fuzzy. O estudo foi realizado na bacia hidrográfica do rio Itapemirim no estado do Espírito Santo, por meio das seguintes etapas: obtenção da imagem de satélite Landsat 8; fotointerpretação e classificação dos fragmentos florestais por classe de tamanho em que: A menor que 5 ha, B entre 5,1 e 50 ha, C entre 50,1 e 300 ha, e D maior que 300 ha; avaliação da dinâmica dos índices de métricas da paisagem de área, densidade e tamanho, forma, borda, área central e proximidade; aplicação da lógica Fuzzy e as suas respectivas funções de pertinência Small e Large, e a função de sobreposição Gamma; seleção de fragmentos florestais potenciais com maior grau de conservação das sementes para coleta e; avaliação da estrutura, riqueza florística, diversidade de Shannon Wiener, equabilidade de Pielou, dissimilaridade de Bray-Curtis, qualidade e sanidade do fuste conforme norma da Sociedade Florestal Brasileira e o índice de Payandeh para avaliar o padrão de distribuição espacial entre fragmentos florestais classificados como alto e baixo potencial para coleta de sementes. Foram determinados 7.515 fragmentos florestais, ocupando 19,21% da área de estudo. A classe de tamanho A possui menor área territorial, maior número de fragmentos e risco de extinção devido ao aumento da borda. A classe D possui menor número de fragmentos, maior área e melhor condição para a coleta de sementes, mesmo com o aumento da borda. Foram selecionados dois fragmentos classificados, respectivamente, como de alto (Fragmento 1) e baixo (Fragmento 2)
potencial para coleta de sementes florestais. No fragmento 1 foram amostrados 1.670 indivíduos, correspondendo a 172 espécies, 103 gêneros e 40 famílias botânicas. No fragmento 2 amostraram-se 1.526 indivíduos, 135 espécies, 92 gêneros e 40 famílias botânicas. O fragmento 1 apresentou menor valor para os índices de diversidade de Shannon-Wiener, Pielou e Jackknife; maior área basal e número de indivíduos por hectare, melhor qualidade e sanidade do fuste entre os indivíduos arbóreos e melhor distribuição espacial que o fragmento 2. A análise dos dados de campo permite confirmar que a lógica Fuzzy foi eficaz na determinação de fragmentos potenciais para coleta de sementes florestais com maior grau de conservação, baseada na determinação da riqueza dos fragmentos. O fragmento 1 possui maior riqueza, maior área basal, menor diversidade, melhor qualidade e sanidade do fuste, e melhor distribuição espacial que o fragmento 2. A metodologia pode ser adaptada para outras zonas e diferentes biomas do planeta.
Palavra-chave: Áreas degradadas, Conservação da natureza, Geotecnologia ambiental, Floresta Atlântica, Sistemas de Informações Geográficas.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910